EU ERREI! (Poema-Reflexão)


Segredo: eu erro nas medidas das coisas!

Amei demais, expressei demais, já foi!

Me protegi demais, calculei demais, já foi!

Eu erro na dosagem que dou e na minha abertura p

ra receber!

Sofria, doía, teimava, me revoltava, desistia…

Errava com a família, com os amigos e com os amores…

Ah os amores, poxa!

Surge alguém bem quando estou carente!

Já era! Exagerei! Me mostrei inteiro, de uma vez só e assustei!

Surge alguém bem quando eu me fechei!

Despercebi, magoei, perdi!

Me revezei entre os lados. Essas relações, viu…

Se parecem um pouco com o jeito de me relacionar com meu próprio corpo…

Me empolguei no exercício e me feri, mas só notei no outro dia,

Me preservei demais e nada mudou, me atrofiei!

Me acomodei, me sobrecarreguei, me deleguei, me envaideci e me omiti.

Se parece demais com meu jeito de me relacionar com as coisas também,

Guardei demasiados objetos de uma fase da vida que não existe mais, era medo de me despedir...

Me desapeguei demais e quando precisei, nada mais achei… Tive que reinventar.

Errei, errei e de repente, após tanto tempo… Uau!