© 2016 Roni Diniz . Ator, Fotógrafo e Designer Gráfico.

Performance Pietá

1/1

Pietá é um símbolo sacro do momento célebre no qual Maria acolhe o corpo desfalecido de Jesus Cristo. Na #PerformancePieta o recorte infinitamente representada por grandes artistas ao longo dos séculos em esculturas e pinturas, ganha uma versão viva e singelamente "dançada" entre Yin e Yang, noite e dia, masculino e feminino em um só e sagrado coração.

> 16/04/19, terça-feira, às 15h

Local: Largo do Piraporinha
Ref. Av. Inácio Dias da Silva, 72
Artistas: Roni Diniz e Débora Tieppo

> 20/12/18, quinta-feira, às 18h,

Local: Praça da Sé, em frente à Catedral da Sé. 

Performers:

Roni Diniz

Débora Tieppo (Convidada)

Pesquisa:

"Os mistérios da Pietà de Michelangelo ainda não foram todos revelados. É ali, nos detalhes, que o essencial sobrevive sempre.
(...)
Em Nova York, Robert Hupka fez um furo no teto para captar o rosto de Cristo, sempre escondido ao nosso olhar (frontal), e que só o artista, antes dele, havia contemplado. É surpreendente! Porque o rosto está vivo, é de uma extraordinária serenidade. Sorri, confiante, beata bem-aventurança. Nunca um rosto humano tinha nascido do mistério divino da Arte com tanta força consoladora.
(...)
Maria, segura entre os braços, Cristo morto, deposto da Cruz. Notamos que a escultura se inscreve em contraste com a exuberância dos tecidos. Nada mais aqui do que a beleza ideal de uma jovem mulher, arquétipo da feminilidade. O que prevalece é a acolhida, necessariamente silenciosa: impressão acentuada pelo gesto da mão esquerda, aberta, que parece dizer: "Assim é".
(...)
Cristo está entregue*. Parece mais velho do que Maria, menor do que a mãe, do que a mulher, do que a esposa, em cujos braços desliza e se deixa deslizar. De fato, aquele corpo jovem e belo não mostra nenhum sinal de rigidez. Ao contrário, em forma de S, é flexível, sensual, lânguido. Os seus dedos acariciam o tecido, o pé está equilibrado em uma pedra, no braço e no pescoço as veias cheias de sangue pulsam no ritmo lento do encanto.
(...)
As revelações importantes, sacras, nunca podem ser feitas de imediato. Elas estão sempre veladas: na poesia, nas fábulas, nas parábolas. No mármore. Lá esperam, às vezes por um longo tempo, até que alguém as capte. Porque, sem uma distância, um véu, o essencial soa como um disparate."

Artigo publicado no jornal L'Osservatore Romano, 02-03-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto. Texto do artista plástico e calígrafo francês Luc Templier, ex-curador do Musée de la Famenne
*tradução ajustada ao contexto

http://www.ihu.unisinos.br/170-noticias/noticias-2014/528852-um-novo-olhar-sobre-a-pieta-de-michelangelo-simbolo-para-o-nosso-mundo

DEPOIMENTO: "A ação se desenrola num movimento cíclico de vida, morte e RESSURREIÇÃO, ela nos surpreende cada vez que a realizamos com muitas sensações e novos significados. Em uma ocasião fizemos num local onde havia muitos moradores de rua estendidos pelo asfalto, de alguma forma sentimos que a ação acolheu o sentimento de abandono que pairava no ar e reverberou um amor maternal. Também foi inevitável deixar de sentir a dor de tantas Marias desse mundo que perderam seus filhos para o sistema violento. Cada vez que nos erguemos do chão como que ressurgindo, para mim, é uma lembrança do milagre e da fé." Débora Tieppo (Atriz/Performer).

Poema a Virgem - Padre José de Anchieta
(Escrito pelo Padre nas areias da Praia de Iperoig em Ubatuba.)

link: http://apostoladosagradoscoracoes.angelfire.com/poevir.html