© 2016 Roni Diniz . Ator, Fotógrafo e Designer Gráfico.

Introdução do Blog

Curiosidades da Temporada do Espetáculo MÃE no Teatro de Arena

25 Feb 2019

Eu confesso que ando num caso de amor com o Teatro de Arena de São Paulo, a cada apresentação do Espetáculo MÃE aqui, aumenta nossa intimidade e o meu respeito por este espaço, vou sentindo gratidão ao perceber este pedaço tão importante da minha história que se escreve hoje aqui, eu me torno uma de suas "palavras" e ele se torna um dos meus "capítulos". 

Um dia desses entrou um Senhor após o término de umas das apresentações e ficou olhando tudo, achei que tinha assistido à peça também, mas ele se desculpou quando me notou e disse que entrou ao ver o teatro aberto porque voltara de outro estado nesta noite e este lugar fazia parte da sua história, contou que foi pupilo da Myriam Muniz lá e que "Ela era ríiiigida!", mas precisou parar com o teatro para se sustentar e sentiu como se tivessem lhe mutilado um membro, neste instante começou a lacrimejar e envergonhado, se desculpou mais uma vez mesmo diante do meu incentivo de que deixasse correr sua emoção... Frisei que não era vergonha, pelo contrário, expressar a própria vulnerabilidade é belo, verdadeiro e sinal de muita coragem e força e que o meu trabalho era justamente sobre isso também, risos! Pedi a ele pra me deixar gravá-lo e partilhar suas histórias preciosas, mas estava muito emocionado e ficou de retornar outro dia para inclusive assistir ao espetáculo.


Sabe, eu costumo pedir autorização internamente a todos os artistas mais ou menos reconhecidos que passaram por lá e agradeço a acolhida que tenho recebido! Entendo os seus desafios e doação ainda que em outros tempos e seguimos!

 
Já na terceira semana da temporada, recebi convidados especiais e família! Obras "meio-muito" autobiográfico geram uma certa ansiedade de compartilhar com a família que dividiu os mesmos fatos, ainda que reconhecendo os distintos pontos de vista e verdades próprias de cada um. Sinto uma certa resistência deles e compreendo, afinal somente vim expressar agora, aos 33, coisas que eu sinto desde criança... Então me parece muito normal que me sinto em cena, ao lado e atravessado pela figura da criança que fui e fez muitos dos meus desenhos que utilizo no trabalho, além da própria Mãe tão presente... A cada nova plateia confirmo que realmente talvez minha mãe tem mesmo um pouco de todas as mulheres e eu tenho um pouco de todos os filhos, de todos os homens... E nos buscamos, na busca de nós mesmos!


Coisas do Teatro e da Arte ou Vida! Como diz uma queirda amiga: AMO-NOS!

 

Bate-papo com a Turma 38 do Curso Técnico em Arte Dramática

 

Dentre as emoções desta temporada, no dia 18 de fevereiro, segunda-feita, um retorno nostálgica ao Senac Santana para um bate-papo maravilhoso com a Turma 38 do Curso Técnico de Ator, esta turma foi em peso assistir ao Espetáculo MÃE uma semana antes! 

Voltar a este espaço no qual eu estava dando um grande passo da minha formação profissional como Ator há quase 5 anos atrás, me encheu de gratidão e boas lembranças! 

A conversa com estes futuros atores profissionais e seres cheios de potenciais expressivos a serem manifestos para este mundão, foi em torno do processo criativo e da Gestão e Empreendedorismo em arte e cultura que é a competência que eles estão tendo aula atualmente e devo dizer, são ensinamentos tão fundamentais que construíram também as minhas bases, é também um dos grandes desafios na vida de qualquer artista neste país que ainda tem muito a se desenvolver no entendimento da importância da arte e cultura na formação do cidadão, no desenvolvimento humano e do cumprimento dos direitos constitucionais de liberdade de expressão e acessibilidade à arte e cultura... 
.
Arte e Cultura é a ALMA de qualquer povo. Vá ao Teatro! Exercite os "músculos" da sua emoção, intelecto e alma!

 

 

 

Um pouco sobre a equipe e parceiros por detrás desta temporada do #EspetaculoMAE


A Eliane Diniz (@_elianediniz), apesar deste sobrenome lindo, não é minha parente e além de Assistente Geral na Produção, é uma ex-designer de moda que em 2005, segundo seu relato, ocasionalmente conheceu o teatro e, desde então, tem experienciado as artes cênicas de forma despretensiosa, vivências que a levaram a uma Graduação em Arte-Teatro pela UNESP. A propósito nos conhecemos na UNESP durante o ano de 2017, quando participamos juntos do Projeto “Eu, Você, Nós: como criar juntos?” Projeto de Extensão do Programa de Atividades Artísticas e Culturais, Sub-programa de Ações Culturais - Instituto de Artes – UNESP. Coordenação: Prof. Dra. Lucia Romano (LAPCA - Laboratório de Processos de Criação Atorais).

 

O Hélio Junior @Oheliojr, além de Iluminador também é Ator formado pelo curso Técnico em Teatro do Senac. Integra o elenco e Núcleo de Pesquisa da Cia Biográfica, onde também é Produtor Geral, e compõe a equipe técnica e artística da Cia Base de Dança Vertical. Nos conhecemos em 2018 melhor em 2018 quando fui convidado para compor um projeto lindo que o seu grupo estava propondo ao PROAC.

 

Uma das Trilhas Sonoras do Espetáculo é um Rezo de pura conexão!

 

Na primeira vez que eu ouvi uma das músicas que acabou entrando para a trilha sonora do espetáculo, eu estava no trem, ao celular como muitos, estressado e ansioso. Uma amiga me enviou pelo WhatsApp, ouvindo, de repente, testemunhei o meu corpo mudando de vibração, algo impossível de descrever, mas se parecia com uma árvore crescendo dentro ou através de mim, com as raízes nas entranhas e um longo e dançante caule que ao chegar ao coração me despertou uma sensação suprema de Amor e Conexão, como se o peito se abrisse, se reativasse, lágrimas brotaram em meus olhos e uma alegria extasiante solicitava meus braços ao movimento e à dança (mas disfarcei por estar em público). 

Um dia, "estudando" o efeito desta música em meu corpo, identifiquei que ela, assim como os mantras indianos, atuava diretamente sobre os meus chakras, alinhando-os e abrindo um canal interno energético em ascensão, uma sensação de liberdade profunda como um pássaro voando sobre os céus, uma teia cósmica invisível que une tudo o que é, harmonia semelhante à sinfonia de sons de uma floresta e seus ecossistemas interligados, conectados a um único coração pulsante ou FONTE!

 

Em 08/2017, concluí uma performance que era uma travessia a pés descalços de retorno por toda avenida Paulista, um "retorno à essência", voltando ao bairro do Paraíso e finalizando na Praça do monumento do Índio Pescador, eu também celebrava um ciclo de 7 experimentos performáticos da minha dança-performance Permeável. Senti de finalizar o trajeto que durou 3:40h dançando este mesmo canto sagrado, mas antes empreendi uma busca até descobrir quem o cantava, seus significados e pedir autorização que só veio no exato dia da performance! Descobri que não é apenas uma música, é uma sequência de música/rezo/acontecimento de uma noite de estudos da medicina da Ayahuasca, o Tonguerê fala do Beija-flor, segundo uma das intérpretes. 

Deixo o meu agradecimento aos povos Nativos generosos e ainda tão pouco valorizados, guardiães de tanta sabedoria ancestral, especialmente à tribo Yawanawa, à Hukena e Asi Rua, com as quais acabei tendo a sorte de me encontrar e viver as memórias que eu ainda acesso em cada apresentação!
Cada semana passada, a surpresa de uma conexão linda em um dos momentos de interação com o Público nos quais eu me sinto como mero instrumento para lembrar por um segundo que seja a essência exuberante que todos nós temos dentro de nós e a Floresta ou Pachamama reflete tão bem e sempre nos lembra!

 

Eu venho sentindo uma emocionante gratidão, apesar de tantos desafios, por experimentar este ofício tão revolucionário quanto humano e ritualístico, pautado no Real encontro, no risco e prazer de tocar e ser tocado pelo outro em tempos tão virtuais em que a maioria tanto implora, precisa quanto teme e se protege do toque, adoecendo tantas vezes em silêncio.
O artista é filho, pai e "MÃE" da experiência quase sexual de tão íntima deste encontro vivo, fértil, amoroso, disparador, latejante e intenso que é o TEATRO e o seu Processo. Quem sabe talvez nos lembrando que a excelência humana é o afeto...

 

Depoimentos do Público

 

O público é convidado a expressar o que sentiu durante o espetáculo, durante todas as apresentações do experimento 1 do espetáculo, o ator sempre concluiu a experiência do espetáculo com bate-papos abertos ao público, como o horário restrito do Teatro de Arena não permitia isso, utilizamos o caderno e a filmagem como plataformas. Muito além de elogios ou críticas mentais e muitas vezes superficiais, estes registros visam uma maior percepção sensorial dos afetamentos alcançados pela obra. Mais depoimentos encontram-se disponíveis na página do evento https://www.facebook.com/events/782611802095126/

 

 Vídeo

 

 

Entrevista para o Canal do Tadeu Ramos no Youtube

 

Por ocasião da estreia do Espetáculo MÃE, o Tadeu Ramos (@tadeu_ramos10) que tem um canal super bacana no Youtube voltado para Literatura, Arte e Cultura, me procurou para gravar uma entrevista que somente se concretizou durante a segunda semana da temporada, nos conhecemos e gravamos no próprio saguão do Teatro de Arena um pouco antes da apresentação do dia. A sinergia foi grande e resultou numa conversa bem descontraída, na qual falei "pelo cotovelos" para variar, deu 30 min de duração, conto um pouco sobre a minha formação artística formal e informal, o processo criativo do Espetáculo MÃE, editais de incentivo a Arte e Cultura em São Paulo e Financiamento Coletivo para projetos como o que eu usei durante o ano passado para uma primeira circulação pelos CEU's.

 

Confira a Entrevista na Íntegra no final deste Post.

 

CHEGAMOS ÀS ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES! 🥂🍾 

Ainda dá tempo! (Classe artística paga meia entrada R$ 10)

Quarta e Quinta, 20:30h até 28/02 de 2019
Local: Rua Dr. Teodoro Baima, 98, República. Próx. à Praça Roosevelt e Metrô República
(11) 3259-6409 | (11) 3256-9463 comunicacaosp@funarte.gov.br
INGRESSO: R$ 20, e meia R$ 10 (dinheiro)

____
Sinopse: A idade de 1 ano e 4 meses perdi minha mãe. Uma poderosa e dolorida imagem ressonante dela é o estímulo inicial para este 1º experimento/fragmento entre teatro, dança, performance, poesia, música e meditação. O arquétipo da Mãe, a 1ª mulher de nossas vidas ainda ecoa, o sagrado feminino, subversões, silenciamentos e estupros sociais, rumo ao arquétipo maior da Mãe: nosso planeta.

https://www.sympla.com.br/espetaculo-mae__431782 
Evento FACEBOOK: https://www.facebook.com/events/782611802095126/

PS: Os doadores da Campanha Kickante tem direito a entrada VIP, desde que me informem com antecedência a data que pretendem vir. Ainda dá tempo! Venham!

 

Entrevista Completa no Canal do Tadeu Ramos.

 

POSTS RELACIONADOS:

 

Acolher o trauma para Transmutar - Espetáculo MÃE, um Não ao abuso!

http://www.ronidiniz.com.br/single-post/2018/06/08/Acolher-o-trauma-para-Transmutar---Espet%C3%A1culo-M%C3%83E-um-N%C3%A3o-ao-abuso

Sobre a tal Performance da Grande Travessia Permeável e os bastidores do processo:

http://www.ronidiniz.com.br/single-post/2018/12/17/Mais-de-1-ano-sem-carnes-Por-que-e-o-que-mudou-se-nem-sou-vegetariano

Desabafo "Pare de me desejar que em breve eu esteja na GLOBO":

http://www.ronidiniz.com.br/single-post/2016/07/22/Pare-de-me-desejar-que-em-breve-eu-esteja-na-Globo

Reflexões sobre Teatro de Grupo e Processos nas Cia Jovem Paidéia

http://www.ronidiniz.com.br/single-post/2018/05/10/Teatro-de-Grupo-Bastidores-Vida-Distanciamento---Cia-Paideia

Pesquisa e Espetáculo Facebunda de Dança Contemporânea (2013)

http://www.ronidiniz.com.br/single-post/2016/11/16/Sobre-Faces-e-Bundas-Ecos-do-Projeto-Facebunda-pesquisa-e-cria%C3%A7%C3%A3o-de-espet%C3%A1culo-de-Dan%C3%A7a-2013

Peça #SomosTodosOtelo e os conflitos humanos no Texto de Shakespeare (2015)

http://www.ronidiniz.com.br/single-post/2016/09/30/Ainda-SomosTodosOtelo-um-ano-depois

O Teatro e os Subtextos:

http://www.ronidiniz.com.br/single-post/2016/10/28/Subversivos-olhares-preciosos

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload