© 2016 Roni Diniz . Ator, Fotógrafo e Designer Gráfico.

Introdução do Blog

Minha experiência transcendental com Sound Healing - Terapia Sonora

Uma Ayahuasca Sonora! Porém sem misticismos e sem nenhum uso de substâncias. É a  melhor síntese que posso fazer na tentativa de descrever a minha experiência com a terapia vibracional. As explicações técnicas e os diagnósticos computadorizados da minha voz desmistificam o processo, mapeiam o trajeto e constroem um campo seguro integrando mente e coração para iniciar o processo e a viagem pra dentro de si. O meu diagnóstico de voz indicou alguns pontos que me surpreenderam, mas fizeram muito sentido, a maioria foram pontos com os quais eu já tenho trabalhado, esclarecendo ainda mais algumas questões ou buscas que tenho trilhado, relacionadas a alguns arquétipos dos chákras inclusive presentes nas ações que eu realizaria na exata semana na qual fiz a terapia, o que me ajudou a aprofundar e dar foco consciente a elas, como a minha busca de relação com a natureza: a mãe.

 

Como sou do teatro e da dança, o meu jeito de vivenciar as experiências me deixam um diário de bordo muito concreto “inscrito em” e também vivenciado através do corpo, por isso posso me recordar direitinho e continuar trabalhando de forma autônoma cada etapa, mesmo quase um mês depois da consulta. A sensação inicial tem um efeito de relaxamento profundo, as propriedades sonoras me conduziram por um estado de quietude, entrega e meditação, da metade da sessão em diante comecei a perceber o fluxo energético transitar pelo corpo mais intensamente e se dilatar pela sala e até pra fora do espaço físico, uma sensação de multi realidades, rede de tempos e presenças, onipresença. A terapia não envolve nenhum toque físico, mas eu tinha a sensação de ter uma equipe de pessoas a minha volta e não apenas um terapeuta ali manejando as tigelas e outros instrumentos sonoros, pois o som ressoava em volta e através de mim, todos os materiais respondiam em coro, pude sentir e observar a massagem sonora sobre meu corpo o que me trouxe grande excitação, algo entre a excitação sexual e o prazer de uma dança ou de uma gargalhada intensa daquela que contrai a barriga… Daí em diante iniciamos uma meditação conduzida, porém o “lugar” para onde fui era um lugar conhecido, na velocidade das asas de um beija-flor, minha presença ali estava entre passado e futuro, porém totalmente encarnado aqui na experiência que o meu corpo experimentava e arquivava, mesmo semi-imóvel, cada poro de pele está desperto, eu estou desperto e consciente, a coluna respira e vibra internamente como uma corda de violão, cada musculatura responde, se entrega e absorve a experiência. Ainda neste “bater de asas do beija-flor”, transpasso por dicas, símbolos, lugares, pessoas e lembranças reais, não dou conta de assimilar ou assentar nas prateleira racionais este campo tão vasto do subconsciente, onírico, o abismo da minha essência, sou curioso e estudioso, queria me dedicar a cada um deles.

 

O Ápice

 

O ponto ápice pra mim foi o encontro com um ser de luz na meditação conduzida pelo terapeuta. Estamos em um jardim verde-vibrante, fértil e florido, um lugar parecido com o que já vi num sonho, vi num filme uma vez e num telão 3D de um show sublime que que fui. Permaneço completamente consciente e me sinto seguro, o exercício da imagética é uma das técnicas mais usadas no teatro e na dança a fim de construir um estado corporal para a cena, criar materialidade e partituras corporais e etc. de modo que eu pinto e bordo neste lugar (risos). Agora eu deveria ir até uma fonte de água, agradecer e beber, mas além de fazer isso tudo eu entro na fonte e tomo banho pelado, sou uma criança feliz, me pergunto se estou burlando as regras, mas meu coração é livre e está no seu reino absoluto agora. O tal ser de luz tem rosto familiar, é alguém do meu convívio e emana amor e paz, risos. Seria alguma espécie de dica? Alguma alegoria que minha mente está fazendo? Este ser de luz sou eu mesmo? Não sei. De novo, observo minha mente e tento observar se não está tentando tomar as rédeas, mas sem repreensões eu deixo a experiência seguir. Percebo que não é mais a mente quem está no controle e me rendo novamente. Curiosamente, ouço da boca deste ser de luz, descrito pelo Terapeuta que conduz a meditação, exatamente algo que eu tive o prazer de dizer recentemente, porém sem ouvir nenhum retorno: “Eu amo você exatamente do jeito que você é! Está tudo bem...” Mas é claro que não me contive e chorei copiosamente de alegria e gratidão com este reencontro divino comigo mesmo! Na experiência, agora eu tenho uma força e potência absurda que transbordam desde o meu coração, sinto minhas pernas firmes como um guerreiro, uma “seiva” percorre meu corpo desde os pés e mal posso contê-la.

 

De novo, no bater de asas do beija-flor, passo por muitos lugares onde eu já fui, das minhas mãos escorre esta seiva, aonde ela toca brotam folhas e plantas como um efeito que vi no Filme A Fonte da Vida, e curiosamente tive uma intuição de assistir de novo no dia anterior, aqui me encontro com parentes, amigos e amores, alguns me abrigam num abraço terno e aqui nos acolhemos sem pudores, a noção de tempo é outra, um segundo parece uma eternidade de amor compartilhado e afetos trocados, mas parece que não tenho muito tempo e não posso me demorar muito em cada lugar, cada pessoa que eu encontro, que me percebe ou não - pessoas com as quais eu estou mais envolvido agora ou mais afastado desde alguns anos - algumas simplesmente chegam até mim, outras eu busco como um impulso do coração, elas recebem esta seiva das minhas mãos e germinam imediatamente, germinam no ritmo do pulso do meu coração extasiado e apaixonado, brotam como a lágrima de alegria e gratidão que eu sentia nascer por detrás dos meus olhos e assim me sinto tão amado e harmonizado com a minha missão de vida…

 

Acabo a sessão assentando com calma toda experiência, focado na minha respiração, sei que não acabou aqui, é como uma música que precisa ir finalizando devagar, no seu tempo, meu corpo ainda dança internamente, a volta é suave e leve, mas um insight ou intuição ainda vai ressoando como um lembrete: É o amor! “Reaprenda, ele não está somente em alguém ou em um lugar, mas no movimento, na vibração, sinta-o, perceba-o e volte sempre aqui…”

 

Para saber mais sobre os embasamentos científicos: https://www.elevaterapia.com.br/terapia-sonora

https://www.facebook.com/elevaterapiavibracional

 

Posts Relacionados:

O que será que o teu corpo está tentando te dizer?

Diário de uma aula de dança contemporânea. Fechar os olhos para ver

Autoconhecimento, meditação e caminhar sobre brasas de verdade!

 

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload