© 2016 Roni Diniz . Ator, Fotógrafo e Designer Gráfico.

Introdução do Blog

Intervenção Urbana "As três Graças" do Núcleo Mirada na Praça da Sé em fotos!

A minha participação no Projeto Rede CALA na parte de registro fotográfico, desde setembro do ano passado, está sendo um prazer inenarrável para mim, pois une duas linguagens do meu universo profissional e artístico: a fotografia e a dança! Além da minha identificação total com os temas, pesquisa e estética do espetáculo CALA, que é sobre o silêncio e ao meu ver um estudo sobre a comunicação não-verbal! Tudo que me aproxima mais do universo da Dança Contemporânea pra mim é ouro, ainda mais que agora não estou com nenhum trabalho específico de dança e isso me faz falta...

 

Nesta segunda-feira, mais um dia, com ameaças de chuva em São Paulo, o que impõe riscos a qualquer atividade a céu aberto, mas o que tivemos foi o cenário de uma tarde iluminada, com desfecho de um chuvisco lindo nas cenas finais. O Núcleo Mirada performou o 2º procedimento obra do Projeto Rede CALA, "As três Graças" na Praça da Sé, com a participação do artista Alcimar Frazão desenhando algumas cenas instantaneamente e interagindo diretamente com as intérpretes, o envolvimento do grupo com o público foi potente, criou-se uma atmosfera de respeito pelo trabalho, quando alguém ameaçava entrar na frente ou distrair a atenção, o próprio público intercedia a favor do trabalho, juntou-se um bom número de pessoas que acompanhou durante um bom tempo e trocou com elas... Mesmo as ações e partituras corporais não sendo chocantes, pelo contrário, sutis e em lânguidos tempos, recheadas e densas, magnetizavam fortemente o público. Não houve nenhum perigo de assalto ou coisa assim, local muito aberto, com viaturas na proximidade uma excelente experiência de intervenção urbana!

 

Pra mim como fotógrafo está sendo uma experiência diferente de tudo e ao mesmo tempo muito coerente com tudo que eu já fiz, é como se eu estivesse dançando também, só que sem o foco de quem está na cena, porém a ligação e a atenção existem proporcionalmente. Nesta ação específica, pude me aproximar mais das cenas sem o receio de interferir ou sujar e me aproveitei bem das pausas longas necessárias para os registros em desenho! Fotografar dança exige uma adaptabilidade descomunal, tem que se jogar, embora o "jogo de cintura" seja requisito e não opção de qualquer fotógrafo, a dança tem alguns agravantes, como a movimentação rápida e a imprevisibilidade do cenário urbano, neste caso, na hora de compor o quadro, às vezes quando vc configura o equipamento, o quadro já mudou, ou quando você pensa em apertar o botão, já foi, risos, geralmente eu prefiro seguir a intuição e triar depois o resultado... Uma atenção redobrada e visão periférica ativa são exigidas, já que se está na rua, uma boa familiarização com o local e uma prévia verificação de ângulos bons e configurações possíveis para o tipo de iluminação presente. A necessidade de configurar rapidamente o equipamento também é outro desafio, por enquanto, minha lente 50mm tem dado conta do recado, embora às vezes eu sinta falta de uma curvatura maior para captar melhor o lugar, no final das contas mesmo, interessa muito mais é ação em cena, os corpos, as "esculturas" que vão aparecendo das coreografias e as expressões vivas, a relação com o lugar é coadjuvante.  “As três graças” atingiram momentos sublimes associados à presença da Igreja da Sé, o badalar dos sinos, o momento final em que as bailarinas entram na Igreja foi de uma espiritualidade e candura únicas!

 

Há um velho incômodo de registrar os rostos dos transeuntes que é facilmente resolvido com o desfoque do fundo, mas às vezes também me interessa captar a reação do público. A lente 50mm, extremamente clara, me permite uma boa velocidade com toda a abertura e belos efeitos de desfocagem a luz do dia! Às vezes é difícil ter certeza de que o foco está perfeito (pra mim tudo bem se não estiver sempre, desde que haja coerência) diante da passagem rápida do movimento a sua frente, por isso, eu prefiro produzir muitas opções quando me deparo com um quadro bonito e clico muuuuito, o que me traz um extenso trabalho pós-evento que já começa em seguida, triando, e depois em casa a edição e processamento, mas como o momento não volta prefiro mesmo pecar pelo excesso!

 

OBS: Para quem quiser conhecer mais o trabalho, pesquisa e agenda do Núcleo Mirada, visite o blog www.nucleomirada.blogspot.com.

 

Abraços e beijos dançantes! Roni ;P

 

 

 

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload