© 2016 Roni Diniz . Ator, Fotógrafo e Designer Gráfico.

Performance Homens

1/1

Os performers colocam seus corpos masculinos como veículo expressivo, comunicador e invólucro da busca de harmonização interna e reintegração de facetas masculinas mutiladas e repelidas socialmente devido a imposição do clichê de macho alpha resultante de uma sociedade machista e patriarcal. Por meio do sagrado mantra de Shiva, o dançarino cósmico, símbolo da transmutação, evocam em coros corporais: amorosidade, flexibilidade, tolerância e prazer.
 

SERVIÇO:
14/12/2017 às 17h próximo ao MASP

Duração Aproximada: 60 min

Concepção: Roni Diniz

Performers:

Roni Diniz

Anderson Vieira (Convidado)

Victor Molina (Convidado)

Staff: Anderson Santos Mendes (Filmagem) Ana Caroline Santos

DEPOIMENTOS DO PÚBLICO

Depoimento 01 

“Eu cheguei muito agitada porque eu não estava achando o lugar, quando eu consegui me acalmar um pouco, veio um pessoal ao meu lado, um senhor, fizeram uns comentários muito pesados, eles observavam a performance e aquilo me incomodou muito, mexeu muito comigo, me tirou um pouco a possibilidade de conexão. Mas resumindo, a figura masculina era forte, mas eu não deixei de ver o feminino, sabe? Em nenhum momento! Talvez no corpo, talvez no olhar, na energia que emanava, talvez nos movimentos sutis dos corpos. Em nenhum dos três performers eu não deixei de ver o feminino... Estava presente!”

 

Depoimento 02

 

"Acompanhei a performance por cerca de uma hora... É muito louco... Sair assim no meio do caos desta cidade, no horário de pico ainda! Deixando se abraçar pela poluição, o barulho e a vibração de uma metrópole... Se despojar e se entregar assim as sensações e a uma conexão interior...

Desde fora percebi que a maioria das pessoas passavam correndo, com pressa e com um destino claro, o que não as deixavam parar para observar o que estava acontecendo. Tinha outros que por estarem no celular ou conversando nem perceberam. Alguns poucos pararam para olhar curiosos mas logo continuavam.
Teve uns três ou quatro que registraram no celular e seguiram os seus caminhos.

Enquanto não havia nada escrito no chão o comentário do público que passava era: "Tem cada um!" Mas depois que liam #PerformanceHomens no chão, as pessoas entendiam que se tratava de uma proposta artística e meio que passavam a olhar com outros olhos.

Eu pessoalmente fiquei me perguntando sobre a relação entre o nome Homens e a proposta... Mas na verdade não achei resposta, porque o assunto de gênero para mim é apenas um rótulo social... Só o fato de ficarem com o peito descoberto me soou como um: "Eu sim posso..."
Acredito que se fossem mulheres teriam sido abusadas e prendidas pela polícia..."

Post no BLOG com o Diário de Bordo: http://www.ronidiniz.com.br/single-post/2018/04/13/Performance-HOMENS---Di%C3%A1rio-de-Bordo