Dançarina do Deserto (Poema)

Medo da própria morte, é do que padece o homem que se apaixona, Seu amor é a maior meta do coração, clamada desde a sua essência Mas também é o pânico de perder-se de si diante do imponderável, Tanto medo sentiu que o perder-se já é fato consumado! Tantos desertos cruzou e agora fisgou-se na miragem feminina que o seduz no deserto Por entre o toque sedento da própria língua que rasteja pelo céu da boca, deglutindo a própria saliva... Sua mão sinuosa e quadris serpeam, kundalini que enfeitiça o olhar. Ele já não sabe se ainda é quem olha ou é quem dança, fundidos que estão… No gesto sutil da mão estendida a altura dos ombros, dançam os elétrons nos átomos e palpita o meu coração! O que impor

A Grande Pedalada em Arraial do Cabo

Sinceramente, o trajeto externo nem era tão grande assim, cerca de 4 km para ir e 4 km para voltar, de jejum e sobre uma montanha calçada de paralelepípedos irregulares, lá fui eu... Mas maior mesmo era o trajeto interno a ser percorrido! Maior mesmo era a profundidade daquele chamado inusitado à solitude e ao contato transcendental que este caminho e meta me fizeram. Acolhendo medos, neuras e etc, despertei às 5:30h da manhã e não mais consegui pregar os olhos... Sem pensar muito, peguei a bicicleta e iniciei o trajeto. Reconhecia que eu mesmo era o meu maior aliado, respeitaria cada uma das minhas limitações e medos, fui investigando as memórias despertadas e a ousadia desta aventura. De u

Performance HOMENS - Diário de Bordo

Como foi a experiência da performance? Será que fez sentido o que foi pretendido? Como foi a experiência individual dos performers? Sentiram os "os lugares corporais internos" onde as coisas ficam "acumuladas" no corpo? E no lado externo, a exposição energética? Anderson: _ Acho que a música ajudou bastante (mantra sânscrito JAYA SHIVA SHANKARA BOM BOM HARE HARE), criou uma bolha, se desligar um pouco da cidade e ao mesmo tempo eu gosto muito de ter uma relação com a cidade. Foi bem forte neste sentido! Eu me percebi uma pessoa mais centrada, consegui me desligar bastante do normal, eu sou muito "ligado" no que está acontecendo. Eu deixei as coisas atravessarem, passarem, a respiração ajudou

© 2016 Roni Diniz . Ator, Fotógrafo e Designer Gráfico.